Novo ano, novos desafios

Todo final de ano é igual. Sempre que um novo calendário inicia, renovam-se as promessas e cria-se uma lista de expectativas. Largar um vício, trocar de emprego e aprender uma nova atividade são apenas algumas das metas impostas.

As promessas são muitas, e além das pessoais, há também as diversas levantadas pelas empresas em todos os setores. Na área contábil chegou a hora das empresas brasileiras tirarem do papel algumas promessas que já vinham sendo adiadas há algum tempo, como a adoção das normas internacionais e a preparação para o funcionamento do E-Social.

O padrão internacional das normas contábeis foi introduzido em 2007 no Brasil. Entretanto, para que as empresas diluíssem os custos das mudanças e fossem se adaptando à nova realidade aos poucos foi instituído o Regime Tributário Transitório (RTT).

A partir de agora, com a aplicação plena da Lei 12.973, as companhias necessariamente precisam aumentar a transparência em relação às suas contas, não restando outra alternativa a não ser seguir o novo padrão nas demonstrações contábeis.

Como a adoção das normas internacionais já estava prevista há alguns anos, muitas empresas buscaram se adaptar ao modelo ao longo desse tempo. No entanto, uma série de companhias deixou a preparação para a última hora, podendo encontrar dificuldades durante esse ano. A penalidade para quem não se adaptar é o cálculo equivocado dos tributos, o que pode gerar autos de lançamento por parte da Receita Federal e multas.

O descumprimento da entrega das obrigações do Livro de Apuração do Lucro Real digital (eLalur) à Receita Federal, por exemplo, poderá gerar multas de 0,25% por mês-calendário ou fração do lucro líquido antes do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL). Em outras situações, dependendo dos erros cometidos, poderá haver litígios societários, questionamentos judiciais e até mesmo a responsabilização dos sócios.

Contadores devem estar mais atentos ao E-Social

Depois de uma série de prorrogações em relação ao seu prazo de vigência, o E-Social deve finalmente deslanchar em 2015. A expectativa é de que, ainda no início do ano, entre o final de janeiro e fevereiro, seja disponibilizado a versão final do manual com instruções e os layouts para que as empresas se adaptem. A partir daí, se iniciaria uma etapa de preparação, que culminaria no início das operações em 2016.

“Tivemos de esperar um pouco em face das últimas medidas provisórias que foram editadas no início do ano. O cronograma inicial é que o sistema entre em pré-produção no segundo semestre de 2015 e inicie a produção de forma facultativa a partir de 2016. A obrigatoriedade será escalonada”, destaca Clóvis Peres, chefe da divisão de escrituração geral de fiscalização e da coordenação geral de fiscalização da Receita Federal do Brasil.

Mercado se prepara para fornecer novos sistemas integrados

Às vésperas de o E-Social entrar em vigor, as empresas de Tecnologia de Informação (TI) procuram oferecer soluções de recursos humanos atualizadas para seus clientes. A tendência é de que muitas empresas adquiram novos sistemas ou atualizem as versões que já utilizam.

Via: Jornal do Comércio

Fale com a tdf

Caso tenha o interesse em conhecer mais sobre nossos serviços ou sanar dúvidas que envolvam a nossa metodologia de aplicação, teremos enorme satisfação em te responder. Entre em contato agora mesmo: