Gestão de estoque: 5 dicas para ser mais eficiente e melhorar os resultados – Parte 2

No artigo anterior vimos como é importante ter uma Gestão de Estoque eficiente e que este é um dos principais ativos da empresa. Dizer que estoque parado é dinheiro parado não é nenhum exagero.

De acordo com os últimos dados do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (IBEVAR), as empresas brasileiras tiveram um prejuízo de 1 bilhão de reais em matéria-prima e produtos acabados no ano de 2014. Para sua empresa não ter também um grande prejuízo relacionado à problemas na Gestão de Estoques, é necessário seguir as melhores práticas do mercado.

Ter um controle de estoque eficaz pode melhorar bastante os resultados da empresa, por isso continuamos com nossas dicas para melhorar a Gestão de Estoque da sua organização.

#4 – Indicadores de desempenho

São alguns indicadores de desempenho interessantes a serem usados para saber se a gestão de estoque da sua instituição é eficiente:

Giro de estoque

O giro de estoque é um dos indicadores mais importantes para a gestão, porque ajuda a identificar se um produto ou um lote está “encalhado” ou não. Este índice identifica, basicamente, se os itens foram vendidos e renovados dentro de um certo período ou se eles estão há muito tempo na prateleira. Para calculá-lo, basta fazer a seguinte conta: total de vendas / média de estoque. Já a média de estoque é dada por: estoque inicial + estoque final / 2.

Nível médio dos estoques 

Também pode ser chamado como cobertura do estoque. Este indicador avalia quantos dias de venda estão estocados. Serve basicamente para indicar quanto tempo o estoque consegue, em média, manter o negócio abastecido. É medido dividindo-se a quantidade de itens em estoque pela demanda de vendas média diária.

Valores muito altos para este indicador são normalmente desaconselháveis, pois indicam que há mais itens do que o necessário armazenados, assim como muito baixos também não são bons, pois se ocorrer um imprevisto nas estradas, por exemplo, pode faltar itens na empresa rapidamente.

Taxa de retorno

Outro indicador que precisa ser considerado é a taxa de retorno ao estoque, ou seja, a quantidade de produtos que são vendidos, efetivamente saindo do estoque, mas que, por algum motivo, retornam devido à logística reversa. É um indicador especialmente importante aos e-commerces, um dos setores do varejo que mais precisam lidar com a logística reversa.

A taxa de retorno pode ser calculada pela seguinte relação: (número de itens retornados / número de itens vendidos) x 100.  O ideal é que seja o mais próximo de zero possível, já que todo retorno implica em custos logísticos extras para a empresa.

5 – Sistema de Gestão Integrado – ERPs

Informação relevante e correta sempre é uma chave importante para se ter sucesso no mundo dos negócios. E saber o que está dando certo e o que precisa ser melhorado na gestão de estoque da sua instituição é fundamental para garantir a melhoria dos processos e dos resultados.

Os ERPs (Enterprise Resource Planning) são sistemas de gestão empresarial informatizados essenciais para o planejamento, realização dos processos  e armazenamento de informações das instituições, que envolvem e integram todas ações operacionais e administrativas. Justamente por integrarem todas as ações, eles garantem informações de qualidade e corretas de qualquer setor e sempre atualizadas. É importante ressaltar que planilhas eletrônicas, controles em livros e anotações avulsas comprometem a eficácia da gestão de estoque, pois demandam tempo e abrem brechas para erros.

O melhor a fazer, portanto, é adotar um sistema de gestão eficiente. Que seja adequado às necessidades da sua empresa e que promova a organização do fluxo de mercadorias, bem como um controle rigoroso sobre entradas e saídas.

ERP: principais vantagens para Gestão do Estoque

Apesar de haver sistemas de gestão específicos para o estoque, o uso de um ERP que englobe toda a organização é muito mais vantajoso. Pois dessa maneira todas as ações estarão integradas, otimizando a gestão empresarial como um todo.

O líder contábil da TDF, Wilson Germani, explica que o sistema ERP ainda possui ferramentas que facilitam os processos do setor de estoque das empresas e proporcionam a comunicação com fornecedores nos trabalhos de cotação de preço.

O sistema Totvs, exemplifica Germani, possibilita o envio de uma planilha de Pedido de Orçamento para os fornecedores escolhidos para cotação e a importação da mesma após o preenchimento dos fornecedores. É possível customizar planilhas de Orçamento ou Negociação e importar as informações para a base de dados atualizando as cotações.

>>Você pode ver nestes artigos os diversos benefícios dos ERPs para as empresas.

Seguindo estas dicas, a Gestão de Estoque da sua empresa tem tudo para ser mais eficiente. O que gera melhores resultados para empresa, podendo aumentar o lucro e diminuir custos.

>>Confira as outras dicas para uma Gestão de Estoque eficiente

Quer acompanhar nossos artigos que trazem dicas e informações relevantes para o mundo empresarial? Cadastre-se em nossa Newsletter nos campos abaixo.

Fale com a tdf

Caso tenha o interesse em conhecer mais sobre nossos serviços ou sanar dúvidas que envolvam a nossa metodologia de aplicação, teremos enorme satisfação em te responder. Entre em contato agora mesmo:

NOME COMPLETO: DENIS BAUER
REGISTRO: RS - 071749/O-9

EMPRESA: TDF ASSESSORIA CONTABIL SS LTDA
REGISTRO: RS - 004367/O-0