5 dicas para uma gestão fiscal mais eficiente na PME

A gestão fiscal de uma empresa é relacionada a toda área responsável por tributação. E, como já sabemos, esta é uma área de grande impacto nos custos fixos e variáveis do seu negócio.

Afinal, além dos impostos de produtos e serviços, que variam conforme sua natureza, valor e/ou quantidade vendida, ainda precisamos considerar tributos patrimoniais, de renda e consumo.

E mais, as variações não param por aí. Uma gestão fiscal mais eficiente na PME considera tributos municipais, federais e estaduais. Imagine, portanto, que não é uma função simples e tão pouco pode ser feita de forma manual, inclusive no caso de pequenas e médias empresas.

Vamos ver, portanto, quais são as 5 dicas para gestão fiscal mais eficiente na PME?

Benefícios de uma gestão fiscal mais eficiente na PME

Antes de partimos para as dicas é interessante listar a real necessidade de se preocupar com uma gestão fiscal mais eficiente na PME. Veja abaixo os motivos elencados pela analista de negócios da TDF, Caroline Bizello. pelo “função/cargo” “nome” da TDF.

  • Conformidade com o Fisco, evitando o pagamento de impostos de forma excessiva ou inferior ao que deveria ser pago

Este é, sem dúvidas, o principal benefício de implantar uma gestão fiscal mais eficiente na PME. A gestão fiscal é essencial para que a empresa se defina de forma correta

Apesar de não ser possível economizar nos impostos, já que eles são obrigatórios e determinados por lei, cada empresa ocupa uma categoria diferente e pode receber benefícios ao escolher o melhor regime tributário para sua situação empresarial.

Como é o caso do Simples Nacional, por exemplo. Sem uma gestão fiscal mais eficiente na PME é mais difícil da empresa compreender que possui esse benefício.

  • Maior controle dos números da empresa, como lucro e custo 

A gestão fiscal, além de relacionar tributos, funciona com um ótimo controle e arquivo do desempenho das empresas. Afinal, dados como lucro, custos fixos e variáveis são combustíveis necessários para a gestão fiscal na PME.

  • Valorização da empresa no mercado

Como já mencionamos, as empresas alinhadas com as determinações do fisco e da legislação sinalizam maior confiança para o mercado e, principalmente, para seus clientes.

Considerando que uma gestão fiscal mais eficiente na PME reflete transparência, organização e profissionalismo. O que, naturalmente, aumenta o valor da empresa no mercado.

Saiba mais: 4 riscos que a sua pme corre com uma contabilidade desorganizada.

5 dicas para gestão fiscal mais eficiente na PME

Uma gestão fiscal mais eficiente na PME precisa indispensavelmente seguir as 5 dicas abaixo. 

1 – Enquadramento Tributário

O enquadramento tributário correto não apenas garante a legalidade das atividades financeiras da empresa, como possibilita a aplicação correta dos tributos. Desta forma, os benefícios oferecidos pela categorização são melhores aproveitados.

Gerando, portanto, economias inteligentes e legais para as pequenas e médias empresas.

2 – Valor pago em impostos

Seguindo no caminho da dica anterior, uma gestão fiscal mais eficiente na PME possibilita que as empresas paguem o valor correto em impostos, nem a menos, nem a mais. Nessa conduta não há prejuízo ou inadequação nas taxas e valores aplicados.

3 – Especificação do valor pago em despesas pessoais

Esse é, infelizmente, um dos erros mais comuns nas pequenas e médias empresas. O empreendedor brasileiro tende a misturar despesas pessoais com as do seu negócio. Isso gera uma série de conflitos e prejuízos nas atividades financeiras.

Uma gestão fiscal mais eficiente é capaz de determinar e separar de forma correta quais custos (e ganhos) correspondem ao financeiro físico e jurídico. Além disso, manter separadas suas despesas pessoais das da empresa, garante maior segurança tributária para seu negócio.

4 – Visualizar seu lucro e despesa 

Esta é uma dica de uma gestão fiscal mais eficiente na PME que tem efeitos externos. Como mencionamos, para alimentar o setor fiscal, precisamos determinar exatamente os lucros e despesas de uma empresa. 

Isso não apenas facilita o cálculo correto, como auxilia na tomada de decisões, na análise da saúde financeira da empresa e no planejamento estratégico

5 – Montar um cronograma com seu parceiro, para regularização dos itens acima, com foco em aumentar a sua rentabilidade 

Nossa dica de ouro é que você precisa de um escritório contábil parceiro para desenvolver uma gestão fiscal mais eficiente na sua PME.

Nesta parceria é indispensável montar um cronograma para a regularização e alinhamento das dicas que incluímos aqui. 

Dessa forma, além de atingir todos os benefícios listados, ainda criamos um cenário favorável para aumentar a sua rentabilidade, diminuir custos desnecessários e facilitar as atividades referentes à gestão fiscal.

Quer entender melhor como a TDF pode te ajudar? Então entre em contato com um de nossos especialistas e saiba mais.

Fale com a tdf

Caso tenha o interesse em conhecer mais sobre nossos serviços ou sanar dúvidas que envolvam a nossa metodologia de aplicação, teremos enorme satisfação em te responder. Entre em contato agora mesmo: